sábado, abril 25, 2009

Corpo Todo Texto

Este sorriso que eu adivinho,
nesta boca que eu tanto desejo,
deste rosto seu que eu nunca vejo,
palavras onde perco meu caminho.

E pelas madrugadas eu definho,
as frases que por meu dia eu planejo
meus Páris roubando o teu beijo,
confluindo em verbo meu carinho.

Mulher de letras, mulher descarnada,
que feitiço maligno de horror
lançaste tu em minha alma danada?

E como explicar este tremor,
como posso fugir desta cilada,
teu corpo todo texto, meu amor.

2 comentários:

Haline disse...

Oie, vim retribuir a visita. Nos conhecemos só no twitter né? Com 140 caracteres não dá pra se conhecer tão bem assim. rs As poesias são todas suas? Parou de escrever? bjobjo

Fal disse...

Lindo, Paulo, lindo mesmo. Vc escreve pacas.